[Resumão] “Duro de Matar – Um bom dia para morrer”, marca o retorno da franquia de Bruce Willis

[Resumão] “Duro de Matar – Um bom dia para morrer”, marca o retorno da franquia de Bruce Willis

Duro-de-matar-quarto-geek

Chegamos a conclusão que nunca vamos entender… Mas tá beleza, o filme é padrão do estilo de ação que consagrou duro de matar, tem as mesmas mentiras maravilhosas de sempre, explosões e mortes, mas o diferencial deste filme é o retorno de Bruce Willis, a inclusão de seu filho na trama, seguindo Indiana Jones e filho e o retorno dos grandes heróis de ação em Os Mercenários.

Confundindo o nome do filme:

Original – A Good Day to Die Hard;

Brasil – Duro de Matar: Um Bom Dia Para Morrer;

Portugal – Die Hard: Nunca é Bom Dia para Morrer

CUIDADO!! Spoiler Sweet!

Papai John McClane vai ao julgamento do filho Jack (Jai Courtney) na Rússia, quando um atentado muda tudo! Bombas explodem 3 carros e permitem a entrada de assassinos no tribunal, que matam quem ainda está vivo. O que John não sabe é que seu filho é um espião da CIA e que foi preso para salvar a vida do principal acusado.

McClane ainda tem a manha das ruas e após anos enfrentando loucos de todos os lugares, apesar de estar de férias, tenta salvar o filho. Depois de ficar contente por perceber que o rapaz não estava envolvido com drogas, Bruce e Jai enfrentam os bandidos russos que teriam provocado o acidente Chernobil, passando por diversas reviravoltas na trama, mas sem muito suspense, fica tudo nas entrelinhas apontado sempre pelo policial mais difícil de matar que já existiu.

Ah, o nome acredito que um bom dia para morrer vem da idéia de ter completado o círculo, de ter feito as pazes com seu filho, no formato: escreva um livro, tenha um filho, plante uma árvore e depois disso a morte pode vir, é tudo lucro! E você o que achou do título do filme?


Novidades da nossa loja virtual...

Deixe uma resposta

comment-avatar

*