L.A. Noire e o mundo glamuroso da investigação [Review by Lew #001]

L.A. Noire e o mundo glamuroso da investigação [Review by Lew #001]

Olá galera, está começando uma nova atração no QG.

É o “Review by Lew”!

Esse que vos escreve teve a idéia de montar um quadro voltado para um resumo das coisas que envolvem o universo nerd, seja ele em games, filmes, séries de TV, músicas, etc.

E frisando que isso não é uma “crítica ferrenha”, nem uma “resenha”, ou um “review crítico”, nada disso. Será apenas um resumo do que eu acho interessante e inovador no mundo da tecnologia e do universo do entretenimento nerd diverso que nos rodeia (ou me rodeia), passando um ponto de vista pessoal  e, espero, divertido. Espero que gostem! ^^

Começando com um game que estou jogando há pouco tempo, mas que é maravilhoso: L.A. Noire para PC.

“L.A. Noire é o primeiro game da produtora Team Bondi, fundada por Brendan McNamara, diretor e roteirista de “The Getaway”, do Team Soho da Sony. O jogo é produzido e distribuído pela Rockstar Games.

Como o próprio título denuncia, a ação se desenrola na Los Angeles no ano de 1947, com uma atmosfera noir similar ao que foi visto em filmes como “Los Angeles – Cidade Proibida” e “Chinatown”.

O jogo foi publicado para o Playstation 3 e Xbox 360. No dia 24 de junho de 2011 (mesmo ano em que o jogo foi lançado), A Rockstar Games e a Team Bondi anunciaram a versão para PC pela Rockstar Leeds com lançamento no final de 2011.” –Fonte: Wikipedia.

Trailer de L.A.Noire:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=yPdQpDdRPB8]

Bom, instalei o jogo e já esperava uma engine similar ao do GTA IV, outro belíssimo game que eu curti e muito e já me deparei com uma diferença: além do enredo, que se passa em uma Los Angeles da década de 40, foi os belíssimos gráficos (e pesados também).

Iniciei o game e comecei a desvendar sua jogabilidade, que explora a investigação minuciosa de cada caso, explorando suas técnicas de raciocínio e esperteza, algo bem intuitivo, nada complicado.

Mas você começa como um simples “PM”, um guarda que passeia tranquilamente, fazendo sua ronda, até que se depara com seu 1º caso. Depois que você vai se dedicando ao seu trabalho como “tira bom”, você rapidamente é promovido para detetive, no qual eu já mencionei a sua distinta função.

O interessante da mecânica do jogo também é os interrogatórios que fazemos nos possíveis “suspeitos” dos crimes, tentando extrair alguma coisa deles. Você simplesmente tem que saber se ele está falando a verdade, mentira ou está em dúvida, algo que a cada vez que você for tendo sucesso em seus casoa, fica mais difícil de saber o que é verdade ou o que é mentira.

Depois de cada caso resolvido, você é conhecido na mídia e pelos moradores da L.A. de 1940, onde todos na rua, quando te avistam, dizem que você é o “Detetive dos noticiários”.

O jogo, resumidamente, é um “GTA das antigas”, onde você, ao invés do “bandido”, é o “mocinho” da trama.

Vale a pena experimentar este belíssimo game (para quem curte games, como eu)  e passear pela “Hollywoodland” de antigamente, viver sem celular (no GTA IV, você não vivia sem ele) e desvendar crimes, desde assaltos à de encontrar um “serial killer” que assombra os teus casos com enigmas e afins.

De 0 à 10, daria um 8 pela trama, mas daria um 5,5 pelo que o jogo necessita para rodar legal (os jogos da Rockstar estão cada vez mais exigentes quanto ao desempenho de PCs mais poçantes).

No mais, apreciem esse grande game e até mais um “Review”. Bye! 😉


Novidades da nossa loja virtual...

Deixe uma resposta

comment-avatar

*