“Free-to-play” ou “Pay-to-play”, pagar ou não pra jogar, eis a questão

“Free-to-play” ou “Pay-to-play”, pagar ou não pra jogar, eis a questão

20131223george-yaoGrande parte dos jogos em rede tem as opções grátis e pagas, mas qual a diferença real entre elas, o que pode se esperar de um jogo onde “não” entra dinheiro?

Free to play – “grátis para jogar” / Pay to play – “pague para jogar”

Os jogos podem começar gratuitos ou bem baratos, mas os itens bons mesmo, só pagando…

A prévia, o básico faz a divulgação, o boom do marketing pega jogos e disponibiliza nos formatos share, free, beta, test, usa players que se disponibilizam a passar horas verificando as novidades, informando sobre erros e comentando como é o jogo com pessoas de interesse, criando o desejo de conhecer o novo game.

A partir daí vem a distribuição, surgem novas fases, expansões, novidades, ataques, defesas, itens, personagens que melhoram a experiência de jogo e diversificam as formas de jogar. Quem não paga vai sendo deixado para trás, atualização após atualização vai aumentando bônus e habilidades para quem está disposto a pagar por aperfeiçoamento.

Podemos citar o exemplo de League of Legends, um jogo free-to-play que oferece ao seu jogador o game completo gratuitamente. Todos os campeões e todas as habilidades podem ser conquistados sem investimento financeiro algum. O que existe é a possibilidade de comprar RPs com dinheiro de verdade. Uma vez adquiridos, os Riot Points permitem que o usuário compre personagens e skins. Observemos, entretanto, que ninguém é “obrigado” a gastar dinheiro para usufruir da experiência completa, uma vez que apenas as skins (itens cosméticos) não podem ser desbloqueadas com tempo de jogo.

league

Exemplo de jogo para PC grátis que te fornece itens pagos.

clashban

Jogo gratuito para Android e IOS, que te fornece benefícios pagos.

Pagar ou não pagar, o que será mais leve para o espírito?

Motivo para não pagar – o jogo é sua curtição sem compromisso, você entra, se diverte e sai, tem uma frequência pequena, não faz parte de grupos e não está nem um pouco preocupado com atualização, bug e se daqui a um ou dois anos o game vai acabar, é legal mas não é sério.

Motivo para pagar – existe um rank e você tem uma colocação a prezar, um nome a “zelar”, sua frequência na vida real é menor que online, você é peça importante do grupo de jogo, grande estrategista ou fundamental em defesa ou ataque, está sempre estudando bugs, focado nas atualizações, participa de redes sociais onde compartilha dicas, caso o jogo seja descontinuado. Ganha dinheiro com isso!! O desejo da atualização, novidade é sempre bom!

O dois lados da moeda

Enquanto o cliente busca por novidade e deseja um jogo decente com o mínimo de erros possível por um custo mínimo, a equipe de desenvolvimento precisa garantir a usabilidade do jogo e criar meios para “vender” e continuar atraindo pessoas (tipo pirâmide, fadado a dar errado mas que às vezes dá certo).

O jogador que não quer pagar nenhuma vez joga contra o próprio jogo, principalmente se gosta dele, e explico o motivo: o trabalho do desenvolvedor, do programador, do cara que faz o serviço de boy precisa ser remunerado, poucos são os desenvolvidos por hobby que se mantém, as pessoas precisam de dinheiro para sobreviver e raramente conseguem isso desenvolvendo de graça!

Pague pouco, faça doações e cobre por melhorias, não deixe seu jogo “morrer”. Quem paga, bem da verdade recebe os benefícios, eles são os caras que sustentam a “ordem cósmica” do jogo, é esse pessoal do pay to play que mantém salário de geral e tem todo direito de reclamar dos bugs.

Meu agradecimento à todos que pagam e ajudam a manter meus jogos favoritos, qual é o seu mais recente vício, você é do grupo free ou do grupo pay? Deixe seu comentário!


Novidades da nossa loja virtual...

Deixe uma resposta

comment-avatar

*