Em O Preço do Amanhã, Justin Timberlake mostra que realmente tempo é dinheiro!

Em O Preço do Amanhã, Justin Timberlake mostra que realmente tempo é dinheiro!

O Preço do Amanhã (In Time 2011) – futuro onde avanços da genética conseguem retardar o envelhecimento e impedir a morte, todo ser humano nasce com um relógio em seu braço que começa a contar (1 ano) de forma decrescente a partir dos 25 anos, que é quando a pessoa para de envelhecer mas pode morrer se o “cronômetro zerar”. Quem possui tempo, que é o dinheiro corrente da época, pode viver eternamente com a mesma aparência que tinha aos 25. Seria esse o mundo perfeito?

Cuidado, contém Spoilers!!

A história conta sobre a vida de um rapaz, Will Salas (Justin Timberlake), que vive um dia após o outro, por ser pobre preocupa-se apenas com suas 24 horas, um dia por vez na cidade baixa onde ninguém tem tempo suficiente e estão correndo, sempre  apressados buscando formas de ganhar mais tempo, ou seja, trabalhando de forma quase escrava em busca de mais tempo de vida. Tudo é comprado com tempo, carros, comida, água, luz, aluguel, existem até financeiras que te emprestam tempo e cobram juros! Realmente, este não é o mundo perfeito, imagine que quando seu dinheiro e seu crédito acabar você simplesmente morre, se não movimenta a economia seu lugar é debaixo de sete palmos…

Voltando ao filme… No bar um figurão com 105 anos e mais de 100 anos de “credi-life” começa a esbanjar, pagando várias rodadas, cercado de muitas mulheres até ser notado pelos “mafiosos do tempo” Will que conhece as ruas e seus perigos tenta orientá-lo sem muito êxito (o cara queria mesmo parar de viver após passar muitos anos com 25), heroicamente Salas tira o maluco da situação perigosa escondendo-se esperando amanhecer. Justin adormece e o fanfarrão passa todo o tempo para ele indo pular da ponte mais próxima. Este é o munto de O Preço do Amanhã, onde os pobres não tem tempo para viver (se deixar tempo para os pobres não haverá espaço na Terra para todos) e os ricos vivem com medo de perder sua “imortalidade”, pois apesar de não morrerem de velhice ainda morrem de forma não natural (assassinatos, facadas, bombas, batidas de carros, afogados, eletrocutados, queimados, etc).

Sua mãe, uma senhora de 50 anos com corpinho de 25 (parece até sua irmã mais nova) tem algumas dívidas a serem pagas e pouco crédito em tempo, ao quitá-las na financeira tenta pegar o ônibus para casa onde no ponto encontraria seu filho e juntos comemorariam seu aniversário (chega de Spoiler aqui).

A partir desse momento Timberlake começa a repensar a sua vida e entram em ação a polícia do tempo querendo saber sobre o que aconteceu com os cento e poucos anos de “credi-life”, aparecem a “cidade alta”, os donos da “grana” e a ação meio capenga vai se desenrolando, não sei se foram os veículos ou as cidades hermeticamente fechadas contra pobres (como eles conseguiram que as coisas funcionassem perfeitamente?), mas algo no filme não batia direito, o tema é espetacular (manutenção de um sistema que funciona para os que tem mais; Robin Hood; Bonnie e Clyde e ladrão que rouba ladrão tem culpa?) com o dinheiro em forma de tempo, o controle da quantidade de pessoas e do fluxo de trabalho, aumentando de uma hora pra outra o valor das coisas simples como passagens, taxas, porcentagens de juros, etc. Ou seja você pode sair de casa hoje com a passagem custando 01:00 hora e na volta o valor é de 02:00 horas, lembrando que quando seu contador zerar você estará morto!

Outro detalhe é a quantidade de atores conhecidos no filme, dentre eles o Leonard (The Big Bang Theory) que é um dos amigos de Justin (deixa o Sheldon saber disso, rsrs…).


Novidades da nossa loja virtual...

Deixe uma resposta

comment-avatar

*