Como usar a polícia brasileira na sua campanha de RPG.

Como usar a polícia brasileira na sua campanha de RPG.

Como usar a Polícia brasileira na sua campanha de RPG.

Polites, é a raiz grega de onde vem as palavras polícia, política e polidez, pólis era a cidade-Estado na Grécia antiga, na Inglaterra no século 19 é criado o modelo da polícia atual, quando o duque de Wellington força o governo a criar um órgão que evite o uso do Exército na repressão de revoltas sociais, a partir daí passa a proteger as pessoas, o patrimônio e a ordem pública.

Órgãos policiais Brasileiros

Polícias Militares – são as polícias estaduais (Estados e Distrito Federal) com função ostensiva e de preservação da ordem pública, estão subordinadas aos Governadores e são forças auxiliares e reserva do Exército Brasileiro, assim como a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros Militar. Cada Polícia Militar do Estado é comandada por um oficial superior no posto de coronel, chamado Comandante-Geral.

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) é uma força de operações especiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, criado em 19 de janeiro de 1978, para ingressar no BOPE, o candidato deve ser policial militar da PMERJ há pelo menos dois anos, possuir excelente condicionamento físico, assim como ser aprovado nas avaliações física, médica e psicológica. São oferecidas duas modalidades de curso, para as duas atribuições da unidade:

Curso de Operações Especiais (COEsp), com duração de três a seis meses, visando preparar o policial para intervenções em áreas de conflito e ao resgate de reféns.

Curso de Ações Táticas (CAT), com duração de cinco semanas, que é uma síntese do curso de operações especiais.


Polícias Civis – Instituídas em 1808 primeiramente no Rio de Janeiro, chefiadas por Delegados-Gerais de Polícia ou Chefes de Polícia, que comandam Delegados de Polícia, que estão a frente de unidades chamadas delegacia ou Distrito Policial, sua função é proteger as pessoas, o patrimônio, a ordem pública, atuar como Polícia Judiciária, promover investigações criminais para descobrir autores, através do inquérito policial, auxiliar o Poder Judiciário na aplicação da Lei nos crimes de competência da Justiça Estadual e desenvolver ações de inteligência policial. Excepcionalmente quando não há Polícia Federal pode ajudar a Justiça Federal.

Polícias Científicas (Seriam o nosso CSI – Crime Scene Investigation) – órgãos estaduais dirigidos por integrantes da carreira de Perito Criminal ou Perito Legista, são especializados na produção de provas técnicas ou periciais, por análise científica de vestígios produzidos e deixados durante a prática de delitos, podem estar subordinadas às Polícias Civis, Secretarias de segurança ou órgãos equivalentes de acordo com a legislação local, trabalham em estreita cooperação com as Polícias Civil e Militar. Existe discordância doutrinária se são instituições policiais autônomas.

Polícia Federal (Seriam o nosso FBI – Federal Bureau Investigation) – polícia do país, mantida pela União tem como função:

I – apurar infrações penais contra a ordem política e social ou em detrimento de bens, serviços e interesses da União ou de suas entidades autárquicas e empresas públicas, assim como outras infrações cuja prática tenha repercussão interestadual ou internacional e exija repressão uniforme, segundo se dispuser em lei;

II – prevenir e reprimir o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o contrabando e o descaminho, sem prejuízo da ação fazendária e de outros órgãos públicos nas respectivas áreas de competência;

III – exercer as funções de polícia marítima, aeroportuária e de fronteiras;

IV – exercer, com exclusividade, as funções de polícia judiciária da União.

Polícia Rodoviária Federal (Seriam o nosso CHIPs – California Highway Patrol, ou Polícia Rodoviária da Califórnia) – polícia federal, subordinada ao Ministério da Justiça, cuja principal função é combater os crimes nas rodovias e estradas federais do Brasil, monitorar e fiscalizar o tráfego de veículos, embora tenha passado a exercer trabalhos que extrapolam sua competência original, como a atuação dentro das cidades, mares e matas brasileiras em conjunto com outros órgãos de segurança pública.

Polícia Ferroviária Federal – polícia federal destinada ao patrulhamento ostensivo de ferrovias federais, considerada como “a menor polícia do mundo”. Com a privatização das ferrovias federais as atividades da corporação permanecem estagnadas.

Polícia Legislativa Federal – designação única para dois órgãos policiais distintos que atendem às Casas do Legislativo Federal, ou seja, ao Senado Federal e à Câmara dos Deputados.

Polícia do Senado Federal – Órgão Policial do Senado Federal, com as a seguintes atribuições:

a segurança do Presidente do Senado Federal, em qualquer localidade do território nacional e no exterior;

a segurança dos Senadores e autoridades brasileiras e estrangeiras, nas dependências sob a responsabilidade do Senado Federal;

a segurança dos Senadores e de servidores em qualquer localidade do território nacional e no exterior, quando determinado pelo Presidente do Senado Federal;

o policiamento nas dependências do Senado Federal;

o apoio à Corregedoria do Senado Federal;

as de revista, busca e apreensão; as de inteligência;

as de registro e de administração inerentes à Polícia;

as de investigação e de inquérito.

Polícia da Câmara dos Deputados – Órgão da Câmara dos Deputados, que compete exercer as funções de polícia judiciária e apuração de infrações penais, com exclusão das que mantiverem relação de subsidiariedade, conexão ou continência com outra cometida fora das dependências da Câmara dos Deputados, além das atividades de polícia ostensiva e preservação da ordem e do patrimônio, nos edifícios da Câmara dos Deputados e em suas dependências externas;

efetuar a segurança do Presidente da Câmara dos Deputados em qualquer localidade do território nacional e no exterior;

efetuar a segurança dos Deputados Federais, servidores e quaisquer pessoas que eventualmente estiverem a serviço da Câmara dos Deputados, em qualquer localidade do território nacional e no exterior, quando assim determinado pelo Presidente da Câmara dos Deputados;

atuar como órgão de apoio à Corregedoria da Câmara dos Deputados, sempre que solicitado;

planejar, coordenar e executar planos de segurança física dos Deputados Federais e demais autoridades que estiverem nas dependências da Câmara dos Deputados.

Polícias das Forças Armadas (Só para campanhas que envolvam forças armadas)

Polícia do Exército – PE – Constituída de unidades de infantaria às quais compete assegurar o respeito à Lei, ordens, bem como o cumprimento dos regulamentos militares no âmbito do Exército Brasileiro.

Polícia da Aeronáutica – PA – Integra os Batalhões de Infantaria da Aeronáutica Especiais – BINFAE e possui as mesmas atribuições da Polícia do Exército no âmbito da Força Aérea Brasileira.

Polícia da Marinha – PM – Companhia de Polícia do Batalhão Naval – Exercem as mesmas atribuições das organizações policiais do Exército e da Força Aérea no âmbito da Marinha do Brasil.

Forças Armadas e suas tropas de elite

O Exército Brasileiro é responsável pelas operações militares em terra, com uma força de cerca de 800.000 soldados, possui uma grande unidade de elite, com efetivos de comandos e de forças especiais, especializada em missões não convencionais, a Brigada de Operações Especiais, única na América Latina, além de uma Força de Ação Rápida Estratégica, formada por unidades de elite altamente mobilizáveis e preparadas (Brigada de Operações Especiais, Brigada de Infantaria Paraquedista, 1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel) e 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel) para atuar em qualquer parte do território nacional, em curto espaço de tempo, na hipótese de agressão externa. Além disso, possui unidades de elite especialistas em combates em biomas característicos do território brasileiro como o pantanal (17º Batalhão de Fronteira), a caatinga (72º Batalhão de Infantaria Motorizado), a montanha (11º Batalhão de Infantaria de Montanha) e a selva. As unidades de selva possuem renome internacional, reconhecidas como as melhores unidades de combate nesse ambiente do mundo. São formadas por índios da região amazônica e por militares oriundos de outras regiões, profissionais especialistas em guerra na selva pelo Centro de Instrução de Guerra na Selva.

A Força Aérea Brasileira é a responsável direta pela defesa aeroespacial do território brasileiro. Formada quando as unidades aéreas do Exército Brasileiro e da Marinha do Brasil foram unificadas em uma unica força militar, inicialmente chamada “Força Aérea Nacional”. As unidades unificadas transferiram seus equipamentos, instalações e pessoal para a nova força armada. A FAB é a maior força aérea na América Latina, com cerca de 700 aeronaves tripuladas em serviço, além de contar, em 23 de Março de 2007, com um pessoal 65.610 pessoas. Além de um adicional civil de 7.500 pessoas contratadas pela força aérea. Como força especial possui: o EAS – Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento, mais conhecido como PARA-SAR (‘PARA’ de paraquedistas, ‘SAR’ do inglês search and rescue, “busca e resgate”), é o Esquadrão de emprego operacional FAB, que realiza missões de operações especiais e de busca e resgate, com um efetivo especialista em missões de Comandos e C-SAR, está baseado na cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

A Marinha do Brasil é a força militar responsável pelas operações navais e para a guarda de águas territoriais brasileiras. É a mais antiga das Forças Armadas brasileiras, e a maior marinha da América Latina, uma das poucas marinhas do mundo a operar um porta-aviões, o NAe São Paulo de 27.307 toneladas, também possui fragatas, corvetas, navios patrulha oceânicos e costeiros, navios tanque, de desembarque de tropas e de blindados, submarinos e muitas outras embarcações fluviais e costeiras, além de helicópteros e caças Skyhawk. Possui um grupo de elite de forças especiais, especializado em retomar navios e instalações navais, o Grupamento de Mergulhadores de Combate, tal unidade é especialmente treinada para proteger as plataformas petrolíferas brasileiras ao longo de sua costa e o Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil Treinados como “Força de Pronta Atuação” (que possui internamente um grupo de operações especiais), sua missão é garantir a projeção do poder naval em terra, por meio de desembarques realizados em conjunto com navios e efetivos da Marinha. e a Aviação Naval.

Agora sim, nada de usar FBI, CIA ou outros estrangeiros por falta de informação nacional, como prova de ótima adaptação temos o filme nacional Tropa de Elite, mas se o senhor for um fanfarrão pode pedir pra sair!


Novidades da nossa loja virtual...

Deixe uma resposta

comment-avatar

*