Como quebrar A Maldição da Mansão Bly

Como quebrar A Maldição da Mansão Bly

Cuidado, tem SPOILER sim!

A Maldição da Mansão Bly (The Haunting of Bly Manor) é a segunda temporada da série A Casa Amaldiçoada (The Haunting), criada por Mike Flanagan para a Netflix. A temporada é baseada principalmente no livro de 1898 A volta do Parafuso (The Turn of the Screw), de Henry James, A Dama do Lago (The Lady in the Lake) e nos títulos que dão nomes aos episódios. Uma história ideal para quem gosta de fantasmas, ficção gótica e terror.

As aparições são introduzidas com a história de Dani (Victoria Pedretti), uma americana que se candidata como au pair (au pair, babá e nanny são diferentes) de duas crianças, Flora (Amelie Bea Smith) e Miles ( Benjamin Evan Ainsworth), que moram em uma mansão numa casa de campo na Inglaterra, a Mansão, que tem seus próprios, rancorosos e antigos fantasmas.

O apego da Senhora da Mansão Bly, Viola (Kate Siegel) é um centro gravitacional para todos os que morrem ali, impedindo que façam a passagem e terminem sua jornada de forma natural. Tudo começa quando o padre deseja dar a extrema unção para a Senhora doente que se recusa a partir com a morte, afirmando que “não vai!” (“Ela diz que não vai, não vai.”). O que era apenas uma frase se torna um objetivo condutor, a morte não pode passar dos portões da Mansão para levar os mortos e da mesma forma, os mortos não podem sair para encontrá-la. Dentre os mortos teremos a história da região que foi alvo de pragas. Um médico, um padre, uma criança, a au pair anterior, Rebecca ou Senhorita Jessell (Tahirah Sharif), braço direito do tio das crianças e amante da Rebeca, Peter (Oliver Jackson-Cohen), a governanta Sra. Grose (T’Nia Miller), entre muitos outros personagens.

Conforme o tempo passa e os mortos são esquecidos, a existência dos fantasmas vai se perdendo da memória (assim como em Coco (Viva – A Vida é uma Festa)), tornando-se uma imagem desfocada, um arremedo do que já foram antes, muito parecido com um jogo de RPG onde os personagens são divididos em duas partes que se antagonizam e suas paixões boas ou ruins os ancoram eles entre a terra dos vivos e a terra dos mortos…

Ela dormiria, ela acordaria e ela andaria…

 

 

Uma história de fantasmas repleta de paixões doentias e finalizada por um amor abnegado. Dani tem suas preferências escondidas em um namoro de infância, nosso primeiro fantasma revelado, não tão forte, não tão poderoso, mas que introduz o clima e os sustos. Ao chegar na Mansão, percebemos o poder da quebra de promessas, e a obsessão de paixões carnais abusivas, amor tóxico e desejo cego. Enquanto os espectros que assombram percebiam suas paixões como pertences, buscavam possuí-los, preferindo destruí-los a ficarem sem. O beijo de amor verdadeiro que derrota o poder do encanto é o amor que liberta, que não oprime. Não existe domínio, mas uma relação de igualdade

É você, sou eu, somos nós.

Amar verdadeiramente uma pessoa é aceitar que o trabalho de amá-la vale a pena perdê-la.

Por fim ficamos com o recado de Dani, de força para os vivos, de manter aqueles que se foram com carinho em nossas memórias:

Vai ser como se ele estivesse aqui com você, mesmo que ele tenha ido.


Novidades da nossa loja virtual...

Deixe uma resposta

comment-avatar

*